Dez Formas de Fazer um Coração Se Derreter – Sarah MacLean:
Série: Os Números do Amor #2
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 352
Classificação: 5/5

Resenha:
Apesar de Dez Formas de Fazer um Coração Se Derreter ser o segundo livro da série Os Números do Amor, ele pode ser lido de forma independente, uma vez que cada um deles conta a história de um dos irmãos da família St. John. Porém, sempre indico a leitura na ordem, já que as histórias acontecem em sequência e acaba tendo um detalhezinho ou outro revelado dos livros anteriores. Esta resenha não contém nenhum spoiler de Nove Regras a Ignorar Quando Se Apaixonar.

Sempre me interesso por romances de época, porém com Nove Regras a Ignorar Quando Se Apaixonar não foi bem assim. Li só porque era romance de época, sem esperar muita coisa, e me surpreendi completamente. Desde então, estava morrendo de vontade de ler esse segundo, e conhecer mais dos personagens que foram apresentados já no primeiro. Mesmo com as expectativas altíssimas, ainda adorei esse livro. Claro, não foi a surpresa que o primeiro foi, porque já esperava gostar, mas mesmo assim gostei bastante.

Aqui temos a história de Nicholas St. John e de Isabel Townsend. Nicholas é o irmão-gêmeo do marquês de Ralston, e por isso não possui nenhum título, mas mesmo assim conseguiu ser escolhido como o melhor partido da cidade por uma popular revista feminina. Ele não consegue mais andar por Londres, nem mesmo ficar em sua própria casa, sem ser perseguido por mulheres tentando conquista-lo. E é por isso que ele não pensa duas vezes quando seu amigo pede sua ajuda para localizar a irmã que havia fugido. Afinal, isso significa sair de Londres.

Lady Isabel deveria ser uma perfeita dama, e ter bastante prestígio na alta sociedade, uma vez que é filha de um conde. Porém, ela nunca nem mesmo chegou a ser apresentada à sociedade, já que seu pai estava sempre mais interessado em gastar todo o dinheiro do que fazer qualquer coisa pela família. Isabel passou a cuidar da casa e de James, seu irmão mais novo, depois da morte da mãe, e com a falta de dinheiro, os funcionários foram embora. Ela teria ficado sozinha com James se não tivesse resolvido começar a abrigar mulheres fugitivas em troca de trabalho.

Mas Isabel conseguiu se organizar tão bem que, de longe, ninguém teria nenhum motivo para suspeitar que a casa era inteiramente ocupada por mulheres (com exceção de James). Porém, com a morte do conde, as coisas ficaram mais complicadas. Seu pai conseguiu gastar todo o dinheiro, e não sobrou nada para a educação de James, para os consertos que a casa precisava desesperadamente, para nada. Isabel não sabe como fazer para cuidar de seu irmão, nem mesmo de todas aquelas mulheres que buscaram sua ajuda e proteção. Sua única esperança é vender a coleção de estátuas de mármore que herdou de sua mãe.

E uma enorme coincidência - ou será que não? - vai fazer com que Isabel dê de cara com Nicholas, que é especialista em antiguidades, e perfeito para avaliar suas esculturas e ajudá-la a vendê-las. Porém, ela vai repensar essa decisão assim que ele colocar os pés na porta de sua casa no mesmo dia, mesmo ela tendo especificado que ele fosse só no dia seguinte. Como manter a ilusão de que não há nada de errado com a casa - nem com seus empregados -, se Nicholas parece prestar atenção em tudo? Como fazer com que ele se dedique totalmente às esculturas, se ele parece estar a todo o tempo atrás dela? Principalmente se ela passa a não achar essa atenção tão ruim?

Nicholas estava entediado em sua busca à irmã de seu amigo, apesar de tudo indicar que estava muito perto de encontrá-la. E, depois de salvar lady Isabel de um acidente e achá-la intrigante, além de ter certeza de que ela está escondendo algo, ele resolve descobrir o que está acontecendo. Afinal de contas, Nicholas não resiste a ajudar uma dama em perigo. Mesmo que ela não queira ajuda. E o que ele vai descobrir naquela casa vai muito além de qualquer coisa que ele poderia ter imaginado. E vai mudar sua vida para sempre.

Porque tanto Isabel quanto Nicholas guardam cada um um segredo capaz de estragar tudo, e nenhum deles está disposto a se colocar em risco. Eles vão precisar aprender a confiar um no outro, porque eles vão descobrir que a verdade sempre encontra um jeito de aparecer, e nem sempre da melhor maneira.

Dez Formas de Fazer um Coração Se Derreter é um livro lindíssimo, e trás personagens maravilhosos, não somente os protagonistas, como todos os secundários foram bem construídos e tinham cada um sua história, por mim dava pra fazer um livro pra cada uma das mulheres que viviam na casa da Isabel, além da prima da Isabel e do melhor amigo do Nicholas, que tiveram sim um pouco de destaque nesse livro, mas eu não me importaria nem um pouco se a autora resolvesse escrever mais sobre eles.

A história vicia, você lê tudo de uma vez e não quer parar nem para respirar, e é maravilhoso. Sarah MacLean trouxe mais uma história diferente, com críticas às regras sociais da época, com personagens incríveis, e cenário diferente da maioria dos romances de época. A editora Arqueiro fez um ótimo trabalho com a edição desse livro, não notei erros de digitação nem de tradução, a capa é bonita (apesar de eu sempre ter a impressão que a mulher está com os braços cortados), e a diagramação está super caprichada. Recomendo demais a leitura, e já quero o próximo livro!

Série:
1. Nove Regras a Ignorar Quando Se Apaixonar (resenha)
2. Dez Formas de Fazer um Coração Se Derreter
3. Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir.


4 Comentários

  1. Oi Adri, tudo bem?
    Eu gosto bastante de histórias de época, e os romances de época também. Mas ultimamente parecia que as histórias estavam ficando cada vez mais clichês, e eu acabei desanimando.
    Gostei muito da premissa deste livro, e já vi bastante elogios a ele.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lara! Realmente, acaba ficando repetitivo. Apesar de eu gostar da maioria deles, as vezes dou uma parada senão enjoa. Mas essa série da Sarah MacLean traz umas histórias bem diferentes, tanto esse quanto o primeiro livro, tomara que você goste!

      Beijos

      Excluir
  2. Oi Adri, estou amando as histórias dessa série! Já tinha gostado de Nove Regras e esse parece conseguir ser tão bom quanto, fiquei com bastante vontade de lê-lo. Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jade! São histórias diferentes, não é? Nove Regras ainda é o meu favorito, mas esse não ficou muito atrás não. Tomara que você consiga lê-lo logo!

      Beijos

      Excluir

Tecnologia do Blogger.