Vermelho como Sangue – Salla Simukka:
Série: Trilogia Branca de Neve #1
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 240
Classificação: 2/5

Resenha:
Não comecei o ano de 2015 bem nas leituras, e não esperava começar. Já tinha visto inúmeros comentários negativos sobre esse livro, e não estava confiante de que a minha opinião seria diferente. Mas sempre existe a ideia de me surpreender com livros que eu não esperava gostar, então fui ler mesmo assim. Até porque Vermelho como Sangue é um livro super fino e provavelmente rápido de ser lido.

Não sabia nada sobre ele, somente que tinha algo a ver com a história da Branca de Neve e que tinha um mistério que levava a um lado meio policial. Se tivesse lido sobre ele antes, teria ficado morrendo de vontade de ler, mas só conheci o livro graças aos comentários negativos, então nem me animei muito. E mesmo assim me decepcionei. O livro não me prendeu em momento algum, e tive que me forçar a continuar lendo, porque, se eu tivesse o costume de abandonar livros, esse teria sido um deles.

Vermelho como Sangue conta a história de Lumikki Andersson, uma garota finlandesa de apenas 17 anos que mora sozinha em uma cidade estranha. Lumikki é uma garota quieta que tenta passar despercebida no meio de uma prestigiada escola de arte, a qual ela conseguiu ser aceita para fugir de um passado tão traumático.

E é nessa escola que a protagonista descobre algo que irá mudar sua vida. Lumikki desde sempre aprendeu a achar lugares isolados para se esconder, para ter paz. E é a câmara escura das aulas de fotografia que serve como seu esconderijo por lá. Só que ela irá encontrar algo lá que não deveria estar lá. Afinal, a escola definitivamente não teria montes de cédulas de dinheiro manchadas com sangue estendidas lá, para todos verem.

Mas Lumikki logo vai descobrir os donos desse dinheiro. E vai desejar nunca ter se metido nessa história, pois para algumas coisas não há volta. Lumikki logo se encontrará envolvida em uma história perigosíssima, buscando descobrir a verdade sobre algo que preferia nunca saber existir. Mas ela não vai desistir. Lumikki sabe se virar nos mais diferentes locais, se disfarçar como ninguém, e sabe sair de qualquer situação, por mais impossível que ela pareça.

Afinal, ela não é apenas uma garota de 17 anos que não sabe de nada. Lumikki é extraordinária. Ela aprendeu sozinha coisas impossíveis, e sabe se comportar melhor do que um agente infiltrado com anos de treinamento. Ela conseguirá enganar e descobrir coisas que ninguém antes conseguiu. Ela conseguirá criar um plano perfeito, e o mais impressionante, levá-lo adiante sem maiores problemas. E isso foi uma das coisas que me incomodou.

Todos os comentários que vi já tinham falado sobre o fato de a protagonista simplesmente se comportar como se fosse a coisa mais normal do mundo se meter no meio de uma história perigosíssima e tudo mais, como se fosse uma brincadeira e que nada pudesse dar errado. E o pior de tudo foi o fato de as coisas realmente darem certo na maioria das vezes, a personagem simplesmente tinha muita sorte e conseguia sair de qualquer situação. Me irritou. Demais.

Outra coisa foi o passado da personagem. A autora insere pequenas lembranças sobre o passado horrível da personagem, e que me fizeram imaginar uma coisa completamente diferente, fiquei tentando imaginar algo que justificasse a experiência toda que ela tinha, algo que explicasse a história ser do jeito que era. Mas não foi nada disso, foi outra decepção. A autora simplesmente jogou um motivo e nem se deu ao trabalho de explicar o porquê.

Sobre a edição da Novo Conceito, está ótima. A capa é maravilhosa, realmente chama a atenção do livro, e a diagramação está simples e bem feita. Não notei erros de digitação nem de diagramação, mas notei algumas faltas de divisões nas cenas, as vezes tinha que voltar um pouquinho para entender quando tinha mudado, mas nada que estragasse a história. O que estragou o livro foi a história mesmo, não me convenceu. Como vocês sabem, nunca vou dizer que um livro é ruim, e que não vale a pena ser lido, porque sempre vai ter alguém que vai gostar, mas eu não leria de novo.

Série:
1. Vermelho como Sangue
2. Branco como a Neve (não publicado no Brasil)
3. Preto como o Ébano (não publicado no Brasil).


Tecnologia do Blogger.