Não Conte a Ninguém – Harlan Coben:
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 240
Classificação: 4/5

Resenha:
Conheci o autor pela série Myron Bolitar, e desde então tenho vontade de ler tudo o que ele escreve. Porém, não andava tendo muita sorte com os livros únicos dele, não estava gostando muito. Então resolvi ir atrás dos livros únicos antigos, aqueles que são tão elogiados por todos, para ver se o problema eram os livros que eu tinha lido ou o modo de o autor escrever histórias únicas que eu não estava gostando. E, felizmente, descobri que era a primeira opção. Ainda prefiro os livros da série Myron Bolitar, mas este livro também é muito bom.

Não Conte a Ninguém conta a história de David Beck, um pediatra que teve sua esposa assassinada oito anos antes. Ele não consegue superar a perda dela, e se culpa por isso. Porque ele estava lá, quando a pegaram. O derrubaram no lago e a levaram. Se ele tivesse sido mais forte, lutado mais, ela poderia ainda estar viva. Mas isso não aconteceu. Então ele segue vivendo, cuidando de seus pacientes, passando tempo com a irmã e a família dela, mas sem nunca se perdoar pelo acontecido. Até o dia em que ele recebe um e-mail estranho.

Um e-mail com informações que só sua esposa poderia ter. Informações que só ela teria como conhecer. E que só ela poderia escrever de uma forma que ele fosse o único a descobrir o que significava. Mas ele não entende como isso pode acontecer, afinal, Elizabeth está morta, o pai dela viu e identificou o corpo. Ela foi morta por um serial killer que confessou os assassinatos. Nada faz sentido. Beck não consegue encontrar uma explicação que faça sentido, e enquanto isso começa a ter esperanças de que tudo tenha sido um mal entendido e que Elizabeth não tenha morrido naquela noite.

Mas, se ela não morreu, por que ela esteve sumida por oito anos? Por que não o procurou? Por que o deixou acreditar que ela estava morta por todo aquele tempo? E, afinal, de quem era o corpo que o pai dela identificou? Não faz sentido. E, mesmo assim, ele não consegue deixar de criar esperanças. Porque ele daria tudo para ter sua esposa de volta. Mesmo que isso acabe ameaçando a sua vida, Beck não se importa. Então ele vai atrás de quem está mandando aquelas mensagens para ele, para descobrir a verdade.

Mas a verdade pode se provar muito perigosa. Logo Beck vai ver sua vida calma e tranquila se transformar, primeiro por conta dos homens que aparecem em sua casa e o sequestram, com o objetivo de descobrir onde está Elizabeth, e depois por conta da polícia, que passa a considera-lo suspeito no assassinato da esposa. Beck não sabe mais no que pensar, não tem onde se esconder, não sabe o que fazer. Tudo o que ele sabe é que tem uma chance de Elizabeth ainda estar viva. E ele não vai descansar enquanto não encontra-la.

O meu único problema com Não Conte a Ninguém foi o fato de ele ter me lembrado Seis Anos Depois, para mim as duas histórias são bem semelhantes. E isso me incomodou um pouco, porque eu não gostei tanto assim de Seis Anos Depois. Mas, mesmo me lembrando da outra história, gostei bastante de Não Conte a Ninguém, os pontos que não gostei do outro foram melhorados nesse (apesar de que esse foi escrito bem antes, então não entendi muito bem o que aconteceu).

A edição do livro é bem simples, mas ótima de ler, a capa combina com a história, e eu não notei erros de pontuação ou de digitação. A edição da Arqueiro está, como sempre, muito bem feita. Recomendo demais a leitura para todos os que gostam de livros policiais, e também para aqueles que não conhecem, mas tem vontade de conhecer, o livro é ótimo. Não é o meu preferido do autor, mas ainda assim é incrível.


Tecnologia do Blogger.