Cidade das Almas Perdidas – Cassandra Clare:
Série: Os Instrumentos Mortais #5
Editora: Galera
Número de páginas: 434
Classificação: 5/5

Resenha:
Cidade das Almas perdidas é o quinto livro da série Os Instrumentos Mortais. Então, se você ainda não leu os outros livros, eu aconselho que você não leia esta resenha, pois ela contém spoilers dos livros anteriores.

Depois de reler Cidade dos Anjos Caídos e me apaixonar completamente pelo livro, as expectativas por esse quinto livro estavam enormes. Porém, me decepcionei. Achei esse livro lento e enrolado demais. Sim, ainda dei cinco estrelas, porque amo a série, e acabei gostando bastante do livro depois de terminar, mas mesmo assim me decepcionei.

Em Cidade das Almas Perdidas descobrimos que Jace e o corpo de Sebastian sumiram. Clary os deixou lá no topo do prédio, e, quando foram buscá-los, eles não estavam mais lá. Nenhum dos dois. E ninguém entende como Sebastian possa ter revivido e sequestrado Jace. Estão todos tentando entender o que era exatamente o ritual que Lilith estava querendo fazer, ao mesmo tempo em que tentam inutilmente encontrar algum sinal de Jace, ou de Sebastian, mas nada dá certo.

E o pior ainda está por vir. Porque Clary vai acabar descobrindo que Sebastian não sequestrou Jace. Jace parece inteiramente a vontade, feliz em ajudar Sebastian em seus planos, agindo como se ele fosse seu melhor amigo, e não seu inimigo. Ele não parece se importar por Sebastian ter matado Max, nem por todas as outras coisas horríveis que ele tenha feito. Ele parece estar realmente acreditando que Sebastian está fazendo o certo.

Mas Clary não vai aceitar isso. Ela sabe que esse não é o Jace que ela conhece e ama, ela sabe que há algo de muito errado com ele. E ela vai fazer o possível e o impossível para ter ele de volta. Ela não vai desistir dele, mesmo que a Clave desista. Mesmo que a Clave esteja considerando-o cúmplice, mesmo que a Clave tenha decidido destruí-lo. É a única maneira de destruir Sebastian, os dois estão ligados, e não há nada que possam fazer.

Felizmente, Clary não está sozinha. A família de Jace não vai abandoná-lo. Os Lightwood vão fazer o que puderem para salvá-lo. Assim como Simon, Magnus, Maia e Jordan. Eles não vão perder as esperanças, mesmo que não pareça ter nada a fazer, eles não vão desistir. Vão atrás de tudo o que puder existir, arriscar tudo o que precisarem, para arranjar um jeito de trazer o Jace real de volta. Mas a questão é: ainda há um Jace real para se trazer de volta?

Em Cidade das Almas Perdidas, assim como Cidade dos Anjos Caídos, a autora mostra mais da visão de outros personagens, não somente da Clary. Isso traz um diferencial enorme no livro, já que podemos nos conectar mais com os outros personagens, e saber mais das histórias deles. Conhecemos melhor eles, e assim a Cassandra conseguiu explorar lados que não tínhamos visto ainda de alguns personagens.

O que mais me impressionou foi que a Cassandra explorou bastante do Sebastian nesse livro. Confesso que teve uma parte do livro que eu estava até começando a gostar dele, afinal, mesmo tendo sangue de demônio, ele ainda foi rejeitado pela família, e está sozinho, não foi uma escolha dele para ele ser punido assim. Claro, ele é mal, ele é parte demônio, mas mesmo assim. Eu terminei o livro sem conseguir descobrir se ele possui algum sentimento, ou se ele mente tão bem assim.

Cidade das Almas Perdidas não é nem de perto o meu favorito da série, acho que é o que eu menos gostei até agora, mas ainda é bom, e nos deixa morrendo de vontade de ler o próximo livro. Confesso que só não li Cidade do Fogo Celestial ainda porque é o último da série, e ainda não tive coragem. Passei duas madrugadas lendo esse livro, chorei, me desesperei, senti raiva, senti muita raiva, duvidei, quis xingar alguns personagens, quis matar alguns personagens, quis esganar alguns personagens, enfim. Apesar de ter achado o livro enrolado, gostei bastante da história que a autora criou, e do que acho que ela pretende fazer para o próximo livro.

A edição da Galera, assim como a de todos os outros livros, deixou a desejar. Sinceramente não entendo qual é a das falhas de impressão de pontuação, não faz o menor sentido para mim. A diagramação continua no mesmo estilo das outras, bem feita e bonita. A capa é linda, mas sem a holografia fica parecendo desbotada. E por fim, a tradução é ótima, o que faz toda a diferença. Apesar de esse não ter sido o meu preferido, vi muitos comentários dizendo que é o melhor da série, então varia para quem lê. Recomendo com certeza.

Série:
1. Cidade dos Ossos (resenha)
2. Cidade das Cinzas (resenha)
3. Cidade de Vidro (resenha)
4. Cidade dos Anjos Caídos (resenha)
5. Cidade das Almas Perdidas
6. Cidade do Fogo Celestial (resenha).


Tecnologia do Blogger.