Cidade das Cinzas – Cassandra Clare:
Série: Os Instrumentos Mortais #2
Editora: Galera
Número de páginas: 405
Classificação: 5/5

Resenha:
Cidade das Cinzas é o segundo livro da série Os Instrumentos Mortais. Então, se você ainda não leu o primeiro livro, eu aconselho que você não leia esta resenha, pois ela contém spoilers dele.

Depois da descoberta desesperadora do final de Cidade dos Ossos, Jace e Clary estão se evitando. Nenhum dos dois sabe como agir perto do outro, então é melhor assim. Mas isso não quer dizer que eles não sintam a falta um do outro. E eles terão que se acostumar com a nova realidade, porque ela não vai mudar. E eles terão que aceitar isso cedo ou tarde.

Clary está vivendo com Luke, já que sua antiga casa não existe mais, e sua mãe está no hospital, sem a menor previsão de melhora. Como Luke está o tempo todo no hospital cuidando de Jocelyn, Clary está sozinha. Ou não, ela tem Simon, seu melhor amigo, e que é, e sempre foi, apaixonado por ela. E ela o ama também, só não da forma que ele queria. É o grande problema, ela ama Simon como deveria amar Jace. Mas Clary sabe que precisa seguir em frente, e Simon está lá, só esperando por ela.

Jace voltou ao Instituto, mas está mais inquieto que nunca. Não consegue esquecer que Valentim está lá fora, e que ninguém consegue pará-lo. Além disso, ele não aguenta essa situação com Clary. A única coisa que o acalma são as lutas com os demônios, então ele, sempre que pode, sai a procura de um. É claro que Alec e Isabelle estão sempre com ele, não o deixariam sozinho. Mas agora que os pais de Alex e Isabelle estão de volta ao Instituto, as coisas serão diferentes. Maryse Lightwood não está nem um pouco feliz com Jace. Ela não acredita que ele não fazia ideia que era filho de Valentim, e que não estava o tempo todo espionando para ele. E ela não vai esconder sua desconfiança, muito pelo contrário.

Porém esses serão os menores de seus problemas. Crianças do submundo estão sendo mortas, e tudo indica que por vampiros. Cabe aos caçadores de sombras descobrirem a verdade e impedirem uma guerra entre os membros do submundo, uma guerra que não seria nem um pouco bem vinda. Juntando a isso, temos a aparição da Inquisidora, uma das mulheres mais poderosas entre os caçadores de sombras, responsável por inspecionar os membros e descobrir traições. E ela não está nem um pouco feliz com Jace. Maryse podia estar chateada com Jace, e duvidando dele, mas a Inquisidora tem certeza que Jace é culpado, e ela não vai descansar enquanto não puni-lo da forma que achar adequada. É quase uma vingança pessoal a Valentim.

Em Cidade das Cinzas conhecemos um pouco mais dos membros do Submundo, de seus costumes e tudo mais. Conhecemos um pouco dos costumes das fadas, das lendas sobre elas e tudo mais. Aliás, uma das minhas cenas preferidas desse livro acontece na Corte das Fadas (e acho que a de todo mundo que já leu). Também conhecemos mais dos poderes dos feiticeiros, graças a participação maior do Magnus na história. E conhecemos um pouco mais dos costumes dos vampiros, graças a um acontecimento do livro. Além disso, vamos cada vez mais conhecendo o modo de viver dos lobisomens, já que Luke é um personagem que aparece muito nesse livro.

Isso não quer dizer que os Caçadores de Sombras sejam deixados de lado, muito pelo contrário. Eles estão lá durante a história toda, e cada vez aprendemos um pouco mais sobre suas histórias, seus costumes, suas leis. Também ficamos sabendo mais sobre os demônios, como são controlados, os diferentes tipos que existem, e tudo mais. Em Cidade dos Ossos Cassandra Clare nos apresentou um mundo novo, em Cidade das Cinzas ela aprofunda cada vez mais esse mundo para que conheçamos mais e mais dele.

Nesse livro temos mais participação do Magnus, o que é uma coisa ótima, já que ele é um dos meus personagens preferidos. Também temos um desenvolvimento maior tanto do Alec quanto do Simon, os dois personagens crescem bastante. Personagens novos, como o Max *--*, irmão mais novo do Alec e da Isabelle, e a Maia, uma licantrope, aparecem e logo já nos fazem nos apegar a eles. Achei que a Isabelle ficou meio apagada nesse livro, mas quando ela aparece ela compensa o sumiço. Luke é o pai que Clary queria ter, está sempre lá por ela e por Jocelyn. Adorei a introdução da Maryse na história, acho que a série estava precisando de uma mãe (e eu adoro ela, e isso não é spoiler, porque eu realmente não me lembro o que acontece com ela nos outros livros, então é tudo baseado em Cidade das Cinzas). Valentim é um dos melhores vilões que já vi, ele realmente acredita que está fazendo o certo, ou pelo menos convence bem.

Achei a revisão de Cidade das Cinzas muito melhor do que a de Cidade dos Ossos, mas ainda notei muitos erros. Principalmente a falta de pontuação, coisa que ando vendo em muitos livros da Galera. Parece ser falha na impressão, mas mesmo assim. No mais, a edição está linda, e eu AMO a capa holográfica do livro. Reli Cidade das Cinzas como se tivesse lendo pela primeira vez. Me desesperei com algumas partes, morri de chorar mesmo sabendo que não aconteceria nada, morri de medo de acontecer algo (como se a história tivesse mudado desde a última vez que li, mas enfim). Recomendo bastante essa série, gosto muito.

Série:
1. Cidade dos Ossos (resenha)
2. Cidade das Cinzas
3. Cidade de Vidro (resenha)
4. Cidade dos Anjos Caídos (resenha)
5. Cidade das Almas Perdidas (resenha)
6. Cidade do Fogo Celestial (resenha).


Tecnologia do Blogger.