O Livro do Amanhã – Cecelia Ahern:
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 367
Classificação: 4/5

Resenha:
Apesar de nunca me interessar muito pelas sinopses dos livros da Cecelia Ahern (PS Eu Te Amo é exceção), eu sempre tenho muitas expectativas, afinal, são da Cecelia Ahern. E ela nunca decepciona, seus livros são ótimos. A sinopse de O Livro do Amanhã tinha chegado a me interessar, pelo fato de ter dentro dele um livro “prevendo o futuro” da personagem, então as minhas expectativas estavam maiores ainda. Comecei a ler e estava ficando chateada por não estar gostando nem um pouco. Até quase a metade do livro estava achando extremamente chato, os personagens não eram chatos, mas a gente não conseguia entender qual era a deles, o que frustra bastante, porque nada fazia sentido. Mas, depois que essa parte passou, ficou tudo ótimo. Recompensou bastante.

Tamara Goodwin é uma garota de 16 anos que acabou de se mudar com a mãe para a casa de seus tios em uma cidade do interior. Acostumada a ter tudo o que queria, morar em uma cidade grande, não precisar dar satisfação nenhuma para os pais sobre o que ia fazer, ela não está nem um pouco feliz em morar na casa de seus tios, e ter que viver sobre a forte supervisão de sua tia, Rosaleen, que parece morrer de preocupação até quando Tamara vai dar uma volta na casa, imagina até as ruínas do castelo que fica na propriedade. Tamara não aguenta mais ter como únicas companhias Rosaleen, que não parece saber aprofundar uma conversa, seu tio Arthur, que não gosta muito de falar, e sua mãe, Jennifer, que está de luto pela morte de seu marido e não reage a nada.

Ela não tem nada para fazer, e não aguenta mais ver a cara de sua tia toda vez que se meche. Sem contar que ela está pensando demais sobre seu pai, sobre a última vez que o vira antes de encontra-lo morto em seu escritório. Ela gritara com ele, dissera que o odiava, será que isso contribuíra para que ele se suicidasse? Ela está começando a se dar conta de como seu comportamento de menina mimada somente fazia com que sua família sofresse. Mas ela não vai aceitar essa ideia tão fácil. A culpa era deles, eles é que não ligavam para ela, e ela não quer mais pensar nisso.

E é por conta disso que, quando Marcus aparece com sua biblioteca itinerante para oferecer livros emprestados, ela não pensa duas vezes antes de tentar passar o máximo de tempo possível junto com ele. E é nessa biblioteca que ela vai encontrar um livro que vai chamar sua atenção, mesmo que ele não tenha título nem o nome do autor escritos na capa. Mesmo que seja um livro que esteja trancado com um cadeado que ela não consiga abrir. Esse livro chamou sua atenção, e ela sente que precisa ficar com ele.

É a irmã Ignatius, uma freira bem velhinha que ela descobre morar perto de sua casa, também dentro da propriedade do antigo castelo, que consegue abrir o livro para ela. Mas não é um livro, é um diário, e está em branco. A irmã a aconselha a escrever nele, mas Tamara não sabe o que escrever. Mas, na manhã seguinte quando decide escrever, ela o encontra já escrito. E o pior, é a sua caligrafia que está nele. Mas ela não se lembra de ter escrito nada. E, se ela tivesse escrito, com certeza não teria errado a data, ela sabe muito bem que esse dia que ela aparentemente escreveu é amanhã. E quem são essas pessoas que ela descreveu no livro? Ela se desespera, nada disso faz sentido, muito menos quando tudo o que estava descrito no livro acontece. Ela não acredita que o livro possa prever o dia de amanhã, mas aparentemente é isso que ele faz. E ela percebe que essa pode ser a sua chance, que ela pode usar esse livro para consertar as coisas de errado que estão acontecendo em sua vida.

E ela vai começar por sua mãe. Apesar do que a tia afirma, Tamara tem certeza de que não é normal sua mãe passar o dia todo trancada no quarto dormindo, sem reagir a nada do que a filha tenta. Ela precisa de um médico. E Tamara vai conseguir um médico para ela, mesmo que ela tenha de esperar a tia sair para trazer o médico escondido até a mãe. Mas por que Rosaleen não deixa o médico examinar sua mãe? A tia pode ter conseguido convencê-lo de que sua mãe só precisava descansar, mas não a ela. E ela começa a desconfiar que sua tia guarde mais segredos do que ela imaginava. Mas ela vai descobrir o que é, ela vai descobrir que segredos essa propriedade guarda, ela vai descobrir que segredos essa família guarda.

Eu adorei a história, ele só perdeu uma estrela porque o início do livro foi extremamente chato, tive que ler de uma vez porque se parasse ia ficar com preguiça de voltar nele. Os personagens, uma vez que você entende para que eles servem na história, são todos muito bem criados, meus personagens preferidos são a irmã Ignatius, uma incomum freira que se torna uma grande amiga para a Tamara, e o Weseley, um garoto muito fofo que trabalha junto com o tio de Tamara e que ajuda bastante Tamara. Mas eu também gosto muito dos outros. Tamara cresce bastante da primeira página do livro, onde ela era uma garota extremamente mimada que não queria nada com a vida, para o final, onde ela percebe o que é importante de verdade.

A edição da Novo Conceito está linda, amo essa capa e essa lombada. Sobre o interior do livro, a primeira coisa que se nota é o tamanho das letras, são enormes. Elas não são grandes a ponto de incomodar, só o suficiente para se notar. Não tinha entendido o porquê, só depois que apareceram as escritas do diário é que fui perceber: se a letra tivesse ficado em um tamanho normal, as letras do diário iriam ficar muito pequenas. Mas eu gostei dessa letra grande, me dava a sensação de que eu estava lendo rápido. Odeio quando a letra é muito pequena e parece que a gente lê e lê e lê e está sempre no mesmo lugar. O resto está normal, e eu não percebi muitos erros de digitação nem nada.

O livro, apesar de ser chatinho no início, compensa pelo resto. A história tem mistério, fantasia, romance, família, mas, o que ela mais fala, é do futuro, destino, será que tudo o que acontece já está escrito, ou podemos fazer o nosso próprio futuro? Podemos mudar o destino? Não é o meu livro preferido da autora, mas eu gostei bastante, a história é interessante, e, assim que você passa da parte inicial chata, o livro te prende ao ponto de você não largar enquanto não terminar. Recomendo sim, mas tenham paciência com o início.


Tecnologia do Blogger.