Os Três - Sarah Lotz
Título original: The Three
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 393
Classificação: 3/5
Onde comprar: Saraiva e Submarino

Resenha:
Quando vi esse livro pela primeira vez, não tinha me interessado muito, já que parecia um pouco assustador. Porém, depois de recebermos o livro para análise da Editora Arqueiro, comecei a ver várias resenhas positivas e fiquei bem empolgada. No entanto, durante a leitura, a dinâmica da narrativa, frustrou, um pouco, minhas expectativas.

No dia 12 de janeiro de 2012, conhecido como Quinta-Feira Negra, quatro aviões de passageiros caíram, com horas de diferença, em quatro regiões diferentes do planeta, resultando na morte de mais de mil pessoas. Há apenas quatro sobreviventes: Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular e três crianças: Hiro Yanagida, Bobby Small e Jessica Craddock, que saíram praticamente ilesas dos destroços. Como se isso já não fosse estranho o suficiente, a mensagem de Pamela causa uma reação inesperada em toda população mundial.

''Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas... Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele... ''

O que isso poderia significar? Há algo de errado com essas as crianças? Como elas sobrevieram? O que poderia ter causado os acidentes? Obra de Deus, terrorismo ou simplesmente uma terrível coincidência? O livro gira principalmente em torno dessas questões e do que as pessoas são capazes de fazer por dinheiro, sucesso ou simplesmente por acreditarem em algo. Ele também aborda diversos temas como o fanatismo religioso, a globalização, a homossexualidade e é claro, o grande mistério envolvendo as três crianças.

Os Três tem uma narrativa diferente e bem única. Acompanhamos toda a história a partir do livro Da Queda à Conspiração, escrito por Elspeth Martins, que reuniu vários relatos, mensagens, e-mails, entrevistas e textos jornalísticos de pessoas mais próximas aos envolvidos nos acontecimentos após a queda dos aviões. Nunca tinha lido nada com esse tipo de narrativa e achei bem interessante. É uma leitura rápida, que prende sua atenção e que gera uma gama de emoções. É ótimo acompanhar vários pontos de vista ao mesmo tempo, e apesar de alguns relatos serem um pouco monótonos, não me incomodaram, pois eram normalmente curtos. Gostei bastante das partes dos parentes que ficaram com as três crianças e fiquei até com um pouquinho de medo em algumas delas.

Infelizmente, isso não foi o suficiente para que eu gostasse do livro. Achei o início um pouco confuso, pois demorei um pouco pra conseguir entender onde exatamente cada avião caiu e o local que acharam cada criança. Fiquei bastante incomodada em várias partes e não gostei do destino de alguns personagens. Outros, eu não conseguia nem lembrar o nome logo após a leitura. Senti raiva, pena, agonia e muitas vezes queria entrar no livro e colocar um pouco de senso na cabeça de algumas pessoas.

Eu realmente não gostei do final e da resolução do mistério principal. A autora acertou ao usar o tema do livro como gatilho para a discursão de diversos assuntos, mas o final em aberto não me agradou. Indico a leitura àqueles que gostam de livros que fazem refletir, não só sobre o mistério principal, mas também sobre outras questões. É um livro para aqueles se intrigam com perguntas sem resposta. Fiquei ainda com mais dúvidas depois de ler.

Então é isso. Espero que tenham gostado da resenha :)


Tecnologia do Blogger.