Enfeitiçadas – Jessica Spotswood:
Série: As Crônicas das Irmãs Bruxas #1
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 272
Classificação: 5/5

Resenha:
Logo que saiu a divulgação desse livro, solicitamos ele para a Editora Arqueiro, já que tanto eu quanto a Iza estávamos mortas de vontade de ler. Mas acabou que nenhuma das duas conseguiu ler logo, fui lê-lo só agora, e não me arrependi.

Ouvi tantos comentários negativos, li tantas resenhas negativas, que quase perdi a vontade de ler esse livro. Mas as expectativas eram maiores que isso, e eu acabei mesmo assim morrendo de vontade de ler. Claro, com as expectativas muito mais baixas, mas ainda existiam. E me surpreendi. Não achei a narrativa nem um pouco lenta, como tinha visto muitos reclamarem, nem tive nenhum problema com a história. Adorei. Terminei o livro completamente apaixonada e doida para ler o próximo.

Cate Cahill é uma bruxa. Suas irmãs, Maura e Tess, também são bruxas. Sua mãe também era uma bruxa. Mas ser uma bruxa na época em que vivem é um perigo. Se os Irmãos da Fraternidade as descobrem, elas serão presas, condenadas sem nem julgamento. E é por isso que Cate se esforça tanto para fazer com que as irmãs estejam seguras, que não pratiquem magia mais do que o necessário, e nunca, mas nunca, na frente de alguém. E elas estão bem assim. Mesmo que Maura e Tess não gostem de Cate as controlando, elas conseguem entender que é para o próprio bem delas. Afinal, Cate prometeu à mãe que iria sempre proteger as irmãs.

O problema é que Cate não sabe como conseguirá manter essa promessa, agora que seu aniversário de 17 anos está chegando. Ela terá que fazer uma escolha. Ou ela arranja um marido, ou os Irmãos arranjam um marido para ela, ou ela se junta à Irmandade (o “braço feminino da Fraternidade”). Mas um marido poderia levá-la para longe das irmãs, e ela não teria qualquer escolha. E a Irmandade não é uma opção, além do fato de ela ter que ir para longe das irmãs, como ela esconderia o fato de ser uma bruxa?

Sua maior esperança é se casar com Paul McLeod, seu melhor amigo de infância. Mas será que ele ficaria em Chatham por ela? Porque ela não quer nem pensar em deixar que os Irmãos escolham um marido para ela, ela iria acabar sendo obrigada a se casar com algum velho viúvo membro da Fraternidade, e cuidar de seus filhos. E Cate definitivamente não quer essa vida para ela. Mas ela logo vai descobrir que esse não é nem o maior de seus problemas. Cate recebe uma carta de uma pessoa misteriosa, que a alerta que ela e as irmãs estão em perigo. E que ela deve ler o diário de sua mãe.

E no diário da mãe Cate encontra uma profecia, a última profecia feita pelo Oráculo antes do último templo ser queimado pela Fraternidade. E essa profecia pode muito bem se referir a ela e suas irmãs. Afinal, não existem muitos trios de irmãs todas bruxas por aí. Muito menos onde uma delas consegue fazer magia mental, já que esse tipo de magia é extremamente raro. Cate está assustada, porque, se elas forem as irmãs da profecia, elas estão correndo um perigo enorme, e ela não sabe em quem confiar.

E agora, como se tudo isso não tivesse ruim o suficiente, o pai resolveu contratar uma governanta para cuidar das filhas, já que ele quase nunca está em casa. Tudo o que Cate não quer é mais uma pessoa que possa acabar vendo alguma delas praticando magia. E não é qualquer pessoa, é a Irmã Elena, uma garota da Irmandade. O que ela faria se descobrisse que elas são bruxas? Cate não sabe o que fazer, e Maura parece estar cada vez mais decidida a complicar cada vez mais a vida de Cate.

O tempo de Cate para decidir está acabando, e ela terá que encontrar uma resposta. E é assim que ela encontra Marianne Belastra, a dona da livraria da cidade. E uma amiga de sua mãe. Marianne sabe quem ela é, e possui algumas respostas para ela. Mas nem ela possui todas as respostas. E Marianne também está em perigo, os Irmãos estão de olho na livraria, só esperando ela cometer o menor deslize para conseguirem fechá-la. Cate não deve ser vista em sua companhia, ela não deve fazer com que os olhos dos Irmãos se voltem na direção de sua família.

Nem mesmo por Finn, o filho de Marianne. Finn, que agora está trabalhando de jardineiro em sua casa para pagar as contas, já que a livraria está prestes a ser fechada. Aquele a quem ela nunca tinha prestado atenção, mas com quem ela se vê cada vez mais envolvida. Como pensar em se casar com Paul depois de conhecer Finn? Como pensar em qualquer outra coisa além de Finn? Cate terá que fazer uma escolha, porque nem mesmo uma bruxa pode ter tudo o que quer.

Enfeitiçadas é um livro LINDO. Eu tive algumas dificuldades no início para me situar na época em que ele acontece, já que algumas coisas me pareciam atuais, mas ele se passa no final do século XIX. Os personagens são todos muito bem estruturados, alguns te fazem se apaixonar por eles, outros te fazem odiá-los, outros não te deixam decidir o que sentir por eles. Eu não vou comentar o final, já que é só eu pensar nele que começo a chorar de novo.

A edição da Arqueiro está linda, a capa é maravilhosa, a diagramação está muito caprichada, com detalhes lindos nos inícios de capítulos. Não notei erros, nada que atrapalhasse a leitura. A minha única reclamação é que não tenho o próximo livros em mãos, porque estou morrendo de vontade de lê-lo. Vale a pena, recomendo Enfeitiçadas demais.

Série:
1. Enfeitiçadas
2. Amaldiçoadas (resenha)
3. Predestinadas (resenha).


Tecnologia do Blogger.