Chá de Sumiço – Marian Keyes:
Série: Família Walsh #5
Editora: Bertrand
Número de páginas: 644
Classificação: 4/5

Resenha:
Chá de Sumiço é o quinto livro da série Família Walsh. Apesar de ser uma série, não é necessário ler em ordem, pois cada livro é sobre uma pessoa da família. Mas, é sempre melhor ler os livros na ordem, já que aprendemos mais a respeito das histórias secundárias que existem e tal. A não ser que os livros anteriores não te interessem, como não me interessavam, então dá para pular eles sem problemas (apesar de que agora estou interessada nos outros rs).

Eu nunca tinha prestado muita atenção nos livros da Marian Keyes, apesar de sempre ouvir falar muito bem dela. Os livros nunca tinham me chamado a atenção, Chá de Sumiço foi o primeiro. Assim que li “detetive particular” na sinopse, sabia que precisava ler esse livro. E assim, fui atrás dele e, assim que chegou aqui em casa, li. E nem me importei com as mais de 600 páginas. O livro foi completamente diferente do que eu esperava, mas eu acabei gostando mesmo assim.

Helen Walsh nunca foi uma mulher comum. Desde sempre, ela nunca conseguiu manter o interesse nas coisas, sempre começava alguma coisa e logo desanimava, e acabava desistindo. E foi assim, no meio dos muitos cursos que ela começava e não terminava, que ela acabou em um curso para ser detetive. E foi a primeira vez que ela conseguiu, não só concluir o curso, como também continuar interessada depois de um tempo.

A ideia de vigiar alguém, descobrir casos, encontrar respostas, a fascinava. E ela era ótima no que fazia. Até que a crise na Irlanda fez com que as pessoas não tivessem mais dinheiro para contratar detetives particulares. E é aí que a vida de Helen começa a ir de mal a pior. Completamente sem trabalho, ela começa a colocar as prestações do apartamento no cartão de crédito, que já há muito não dava conta de pagar. A TV a cabo é cortada, mas ela pode viver sem TV. O recolhimento de lixo é cortado, mas ela pode levar o lixo até a casa dos pais e lá ele é recolhido. A energia elétrica é cortada, mas Helen está confiante de que consegue viver sem luz. Até que ela é despejada, e é aí que seu mundo cai de verdade.

Obrigada a voltar a morar com os pais, Helen não sabe o que fazer de sua vida. A depressão, que ela pensava ter superado, começa a dar sinais de que está voltando. E ela não faz a menor ideia do que fazer. Até que seu ex-namorado, aquele que ela não queria ver nunca mais, aparece com uma proposta de trabalho. Tudo o que Helen não quer é voltar a ver Jay, principalmente agora que ela está se dando tão bem com Artie, seu atual namorado. Mas ela está realmente precisando de dinheiro, e Jay está oferecendo mais que o dobro do que ela normalmente cobraria.

Tudo o que ela tem que fazer é encontrar Wayne Diffney, o antigo integrante da Laddz, uma banda que fez muito sucesso a um tempo atrás. Wayne desapareceu do nada, depois de ter aceitado e até ensaiado para os três shows de reencontro que a banda fará na semana seguinte. E é por isso que Helen deve encontra-lo o mais rápido possível, antes que o público descubra.

A casa de Wayne é linda, é a casa de seus sonhos. Principalmente agora que ela não tem mais uma casa. Quanto mais ela vai descobrindo coisas sobre Wayne, mais ela vai percebendo como ele parece ser um cara legal, e que talvez ele tenha desaparecido simplesmente para evitar a vergonha de ter que se apresentar de novo. Porque sim, ele passou muita vergonha naquela época. E seria uma vergonha maior ainda fazer tudo isso de novo.

Mas Wayne não parece ser o tipo de cara que sumiria sem dizer nada a ninguém, deixando sua família preocupada, e seus companheiros de banca desesperados, porque todos eles precisavam muito do dinheiro. Por tudo o que Helen descobriu sobre ele, ele não faria isso. Mas é a única coisa que faz sentido, porque ele não parece ter sido sequestrado. E o tempo está passando, e Helen não consegue descobrir onde ele está.

Isso já está a desesperando, afinal, ela já procurou em todos os lugares possíveis, e nada de Wayne. E seus companheiros de banda, por mais dispostos que pareçam para ajudá-la, não parecem estar sendo inteiramente honestos com ela. Mas como ela faz para fazer com que eles contem a verdade? E será que essa verdade é tão importante assim?

E, o mais importante: será que ela deve mesmo encontrar Wayne? Será que ela não deve simplesmente deixa-lo escondido onde ele está? Se não fosse por estar sendo paga por isso, Helen já teria abandonado o caso fazia tempo. Mas ela não pode abandonar o caso, principalmente porque, se fizer isso, sua vida voltará a não ter perspectiva. E a depressão, que já está a sufocando, voltará de uma vez por todas. E aí ela perderá tudo.

Chá de Sumiço foi um livro bem diferente do que eu esperava, mas eu acabei gostando. Achei que ia ser um livro mais divertido, e que ia focar mais no mistério do sumiço do Wayne. Mas acabou que a autora focou mais na depressão da Helen. Não que isso tenha sido ruim, porque a autora conseguiu fazer com que a personagem ficasse legal mesmo depressiva, o que não é fácil. Não cheguei a viciar no livro, ao ponto de não querer parar de ler de jeito nenhum, mas ao mesmo tempo não sentia preguiça de continuar a leitura, o que significa que a escrita da autora é boa, porque ultimamente livros maiores andam me cansando facilmente (principalmente Guerra dos Tronos, foi um sacrifício terminá-lo). Gostei do livro, e recomendo, mas não vão ler pensando que encontrarão um grande mistério e tal, porque o livro não é sobre isso.

Série:
1. Melancia
2. Férias
3. Los Angeles
4. Tem Alguém Aí?
5. Chá de Sumiço.


Tecnologia do Blogger.