Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido – Deb Caletti:
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 238
Classificação: 3/5

Resenha:
Depois de ler Um Lugar para Ficar (resenha) e me apaixonar pelo livro, fiquei doida para ler outros livros da Deb Caletti. Sempre soube que esse livro ia ser mais adolescente, tanto pelo título quanto pela sinopse, mas ainda assim tinha bastantes expectativas sobre ele. Não foram superadas, infelizmente, mas o livro não chegou a ser ruim. Foi um livro bom, mas só isso. Não deixou uma mensagem para você ficar pensando tempos depois sobre ele.

Ruby McQueen sempre foi uma garota certinha, seguia as regras, tinha um bom relacionamento com a família, pensava antes de agir, ficava na sua. Mas nesse verão ela decidiu ser diferente. Ela iria ser uma garota corajosa, destemida. E isso acabou por incluir Travis Becker e sua moto. Travis a provocava uma vontade de fazer as coisas mais perigosas possíveis, de viver aventuras. Mas Travis parece não saber a hora de parar, e Ruby começa a se perguntar se ela realmente sabe quem é esse garoto com quem ela está se relacionando. E ela vai chegar a uma conclusão de que não gosta do modo como Travis faz as coisas.

Mas Ruby logo vai perceber que Travis possui um efeito enorme sobre ela, ele consegue convencê-la de qualquer coisa. Ela não consegue pensar claramente quando está perto dele. E é por isso que vai precisar de toda a ajuda possível para se manter distante. E não vão faltar pessoas para ajudá-la. Ann, sua mãe, nem parece aquela mulher de uma semana atrás que estava tão deprimida por ser abandonada de vez por seu marido, agora ela tem um objetivo: deixar Ruby ocupada, porque se ela tiver outras coisas para pensar, ela não vai se lembrar de Travis.

E isso significa que ela vai levar Ruby para participar de seu clube de leitura, as Rainhas Caçarolas, um grupo de idosas (e idoso) que ultimamente estão discutindo um livro chamado A Vida Multiplicada por Dois, do famoso escritor Charles Whitney. As velhinhas (não vou falar o nome de todas, porque são muitas) são incríveis, adoram implicar com o único homem que participa do clube, e vivem dando palpites uma na vida da outra. Dá para ver que eles todos são muito amigos (fica tão estranho colocar no masculino tendo só um homem na história), e se preocupam de verdade um com o outro.

Acontece que a senhora Peach, uma das velhinhas, está certa de que Lillian, uma participante do clube que sofreu um derrame e não fala mais, é a protagonista dessa história de Charles Whitney. Está certa de que ela é o amor da vida dele. Mas ela também estava certa de que tinha um corpo no quintal do vizinho, e só o que a polícia achou foi um saco de lixo, então não é muito comum acreditarem nela. Mas Ann acredita, e Ruby também. E elas acabam descobrindo a verdade, que as motivam a invadir a Casa de Repouso onde as filhas de Lillian a colocaram, para levarem-na até o amor de sua vida. E assim se dá uma viagem muito engraçada onde Ruby, seu irmão, sua mãe e alguns velhinhos levam Lillian até o encontro de Charles. E essa viagem não vai terminar sem confusão.

Meu personagem preferido é o irmão da Ruby. Chip Jr. é um garoto muito inteligente, muito observador, ele percebe coisas que ninguém nunca iria notar. A relação dele com a Ruby é linda, normalmente vemos os irmãos brigando nos livros, mas os dois são companheiros, cuidam um do outro, além de se unirem para cuidar da mãe depois das visitas do pai. Também adorei o Poe, o cachorro da família. Ele destrói tudo o que vê pela frente, ele abriu um buraco na parede da cozinha tentando sair para o quintal (me lembrou demais meu gato destruindo a árvore de Natal). Morri de rir com as reações da família quando percebiam o que ele tinha feito. Ann, a mãe deles, me incomodou no início, mas logo ela muda, ela começa a tomar conta da sua vida, a seguir em frente. E ela fará com que Ruby faça o mesmo. As velhinhas e o velhinho são incríveis, sem dúvida as melhores partes da história são quando eles aparecem. Travis é um garoto rico, não sabemos muito sobre ele além de que ele gosta de se meter em situações perigosas. Mas sabemos que ele não possui bom caráter. Não gostei dele desde o início, não entendi a relação dele com a Ruby, acho que esse foi o ponto ruim da história. A Ruby é uma garota certinha, responsável, que se importa com as pessoas, mas quando ela está com o Travis ela se torna outra pessoa. Nem ela entende o que acontece com ela, ela simplesmente muda quando está com ele. E não é para melhor.

Sobre a edição da Novo Conceito: a capa é linda, muito bem trabalhada, a diagramação do livro está ótima, os inícios de capítulos ficaram lindos, e eu não notei erros. A história foi boa mas, se tratando de um livro da Deb Caletti, eu esperava mais. Acho que o ponto fraco da história foi realmente o relacionamento da Ruby com o Travis, não deu para aceitá-lo muito bem, não fez muito sentido. A parte do clube de leitura foi ótima, rendeu muitas risadas. Indico o livro sim, mas não vão com tantas expectativas.


Tecnologia do Blogger.