Trono de Vidro – Sarah J. Maas:
Série: Trono de Vidro #1
Editora: Galera
Número de páginas: 392
Classificação: 5/5

Resenha:
Trono de Vidro é um livro que eu não sabia muita coisa sobre, mas estava morrendo de vontade de ler por conta da capa linda. Minhas expectativas estavam altíssimas, e eu não gosto quando isso acontece porque normalmente me decepciono. Mas com Trono de Vidro eu não me decepcionei. Muito pelo contrário. Virou o meu mais novo favorito, o melhor que eu li este ano. E eu vou tentar falar alguma coisa além de que ele é perfeito demais, mas essa é a ideia.

Celaena Sardothien é uma assassina. Mas ela não é uma assassina qualquer, ela é a maior assassina de Adarlan. Ou melhor, ela ERA a maior assassina de Adarlan, até ser traída e capturada. Depois de um ano como escrava em Endovier, ela não está em condições de muita coisa, mas ela ainda é uma assassina, ela ainda é mais perigosa que muitos outros assassinos por aí.

Notaram a quantidade de vezes que eu usei a palavra ‘assassina’? Essa é a minha única reclamação desse livro. Eu não aguentava mais ouvir a Celaena ser chamada de assassina, todo mundo já tinha entendido que ela era uma assassina, já podiam se referir a ela pelo seu nome. Mas acho que a autora fez de propósito para mostrar que, para os outros, ela era uma assassina, e só isso. Não era considerada uma pessoa. Mas felizmente logo começam a chamá-la por seu nome mesmo.

Após um ano de trabalho forçado nas minas de sal de Endovier, Celaena acreditou que finalmente seria enforcada quando encontrou Chaol Westfall, o capitão da Guarda Real, à sua espera na saída das minas. Mas ela não estava sendo levada à forca. O surpreendente encontro com o príncipe Dorian a trouxe uma esperança de liberdade. Tudo o que ela tinha que fazer era lutar em seu nome em uma competição idiota, ganhar, trabalhar por quatro anos como assassina particular do rei, e estaria livre. Ela poderia ir para bem longe e nunca mais ouvir falar de Erilea.

Mas ganhar esta competição não será tão simples como ela imaginou. Existem competidores que podem dar trabalho a ela, principalmente estando tanto tempo sem treinar. Mas isso não é o que mais a preocupa. Os competidores encontrados não apenas mortos, mas estraçalhados, dias antes de cada prova, estão a deixando com muito medo. Mas não é nem somente isso que atrai sua atenção. São os símbolos desenhados ao redor dos corpos é que a estão deixando sem dormir. Ela não consegue descobrir o que significam, não importa o quanto tente. E já são poucos os competidores restantes, e ela teme ser a próxima.

Sobre os personagens, Celaena é corajosa e determinada, sabe negociar, sabe provocar, e sabe bem até onde pode ir em cada ocasião. Ela é uma garota linda e inteligente que, apesar da pouca idade, sabe muito bem se virar e tirar o melhor proveito de cada situação. O que eu mais gostei nela foi o fato de que ela ama ler. Sempre que pode ela está com um livro nas mãos, lendo tudo o que consegue. Chaol é o capitão da Guarda Real, um homem que, acima de tudo, cumpre seus deveres. Para ele, Celaena é uma ameaça, uma assassina, e que deve ser tratada assim. Ele não é simpático com ela, não é gentil, não a considera digna de confiança. Mas mesmo assim ele vai dar o seu melhor para treiná-la e ajudá-la a vencer essa competição. E, ao mesmo tempo, ele vai vigiá-la para que ela não fuja nem cause algum problema no castelo. Dorian é, a princípio, o príncipe mimado que escolheu Celaena como sua campeã só para aborrecer o pai. Mas, aos poucos, vamos conhecendo-o de verdade, vamos percebendo que sua vida não é tão boa quanto parece. Ele pode ser gentil, atencioso, sarcástico, além de ser lindo.

Eu me apaixonei pelo Chaol desde que ele apareceu pela primeira vez, ele e a Celaena juntos me lembraram a Rose e o Dimitri (Vampire Academy) e eu decidi que eles precisavam ficar juntos antes mesmo deles trocarem duas palavras. E foi aí que meu amor por este livro começou. Apesar de não ser focado no romance, existe um triângulo, é claro, e ele quase me deixou dividida, porque a relação entre o Dorian e a Celaena também é linda, mas Chaol e Celaena é bem melhor. Esses são os três personagens principais, mas a história não para aí. Existem muitos outros personagens super bem construídos e com bastante importância, mas não vou falar deles.

Trono de Vidro surgiu de uma fanfic sobre a Cinderela, mas não é apenas isso, ele envolve mistério, magia, romance, suspense (eu talvez tenha ficado morrendo de medo de andar pela casa depois de ler, mas é porque eu sou medrosa), sobrenatural. Eu terminei Trono de Vidro totalmente apaixonada, não conseguia largar o livro de jeito nenhum, nem parar de falar dele para quem quisesse ouvir e para quem não quisesse também.

A edição da Galera está linda demais, a capa e a diagramação perfeitas. Notei alguns erros no livro, uma frase que até agora eu não entendi direito o que significava, mas foram poucos, não chegaram a incomodar. Recomendo DEMAIS esse livro a todos que gostam de um bom livro de fantasia, vocês não vão se arrepender.

Série:
1. Trono de Vidro
2. Coroa da Meia-Noite
3. Heir of Fire.


Tecnologia do Blogger.