A Culpa é das Estrelas – John Green:
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 288
Classificação: 3/5

Resenha:
Eu não gosto de ler livros que fazem muito sucesso e só se ouve falar bem, porque é muito fácil de eu me decepcionar. E foi justamente por isso que eu demorei tanto para ler A Culpa é das Estrelas. Minhas expectativas eram altíssimas, e o medo de me decepcionar maior ainda. Mas, eu tinha que ler ACEDE, eu precisava saber daquela história que todo mundo ama e que tem quotes tão lindos. Então, depois de mais de um ano parado na estante, eu finalmente criei coragem para lê-lo.

Hazel é uma garota de dezesseis anos que vai morrer logo. Seu câncer não tem cura, tudo o que os médicos podem fazer é tentar medicamentos que prolonguem sua vida. E ela aceita isso. Claro, ela não quer morrer, mas sabe que é inevitável. Augustus tem dezoito anos e perdeu uma perna devido ao câncer alguns anos antes. Ele está curado, mas a prótese que ele usa no lugar da perna nunca o deixará esquecer de tudo o que ele passou.

Eles se conhecem no Grupo de Apoio que Hazel frequenta e que Augustus foi um dia porque o amigo, Isaac, pediu. E, a partir daí, suas vidas nunca mais serão as mesmas. Mesmo que Hazel tente mantê-lo distante, Augustus consegue se tornar parte da vida dela, e uma parte cada vez maior.

Eu achei a história linda, dois adolescentes enfrentando todos os problemas que eles têm e ainda encontrando tempo de apoiar um ao outro, de se apaixonar. A história é muito boa, mas não atingiu minhas expectativas (e lá vai as minhas expectativas estragarem mais uma história :/). Não foi tudo aquilo que eu esperava, apesar de ter me surpreendido (pessoas passando spoilers falsos rs).

Uma coisa que deixa bem claro que o livro não atingiu minhas expectativas foi que eu não chorei. Sabem o que isso significa? Eu sou a pessoa mais chorona que existe, eu choro até assistindo propaganda na TV. Eu já tinha chorado lendo resenhas dele, e lendo o livro eu não chorei. Claro que teve horas que os meus olhos se encheram de lágrimas, mas eu achava que ia me acabar de chorar, e isso não aconteceu.

Outra coisa foi que eu não me identifiquei com a escrita do autor. Achei muito simples, frases muito curtas, sei lá. Não sei se é da escrita do autor mesmo ou se é da tradução, porque não tenho a edição original, mas estranhei bastante, e demorei para me acostumar com isso.

Apesar desses dois fatores, eu gostei do livro. Não tem como não gostar. Dei três estrelas porque foi um livro bom, mas não atingiu minhas expectativas, podia ter sido melhor. Mas recomendo, é só ir com um pouco mais de calma e sem esperar tanto dele que vai ser bem melhor. A edição da Intrínseca está linda, não notei erros e a diagramação está ótima.


Tecnologia do Blogger.