A Escolha – Nicholas Sparks:
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 307
Classificação: 5/5

Resenha:
Esse foi o segundo livro do Nicholas Sparks que eu li, e, apesar de Um Homem de Sorte ainda ser meu preferido, eu simplesmente AMEI esse. Li até a metade amando ele, lindo e perfeito, super fofo e tal. Aí chegou na metade. Aí eu lembrei quem era o escritor. Aí eu comecei a chorar. Aí eu não parei mais, cheguei a ter que largar o livro pra me acalmar, porque simplesmente não dava para ler.

A primeira parte do livro é sobre como os personagens principais, Gabby e Travis, se conheceram e se apaixonaram. A segunda parte é no presente, quando uma importante decisão precisa ser feita. Confesso que eu demorei duzentos anos para entender que decisão era essa, porque o autor dá a entender que é uma coisa completamente diferente, e foi isso que me fez morrer de chorar, já que eu definitivamente não estava preparada para aquilo.

Travis morava em uma casa em uma pequena cidade, e Gabby se muda para a casa ao lado. Nunca se falaram, nunca se encontraram nem nada, até o dia em que Gabby resolve ir tirar satisfação por sua cadela estar grávida e ela ter certeza de que o cachorro dele ser o pai. E é aí que tudo começa.

A discussão não os faz virar amigos, muito pelo contrário, mas Travis consegue convencer Gabby de começar de novo. E, conforme eles vão se conhecendo, eles vão se apaixonando. Essa parte é linda (não que o resto do livro não seja, enfim), porque eles vão se apaixonando naturalmente, com a convivência, sem pressa.

Destaque para uma personagem super importante, a Stephanie, irmã do Travis. Gente, ela é ótima, me diverti MUITO com ela. Sabe aquela personagem cara de pau, que fala tudo o que vem na cabeça, que é direta e que, acima de tudo, está sempre lá? Sem dúvidas minha personagem preferida, me fez rir demais. É uma personagem que não dá para deixar de mencionar.

"Stephanie riu. - Está querendo me dizer o que eu devo ou não devo fazer? - Estou só dizendo que talvez ela não entenda o seu senso de humor. - Prometo me comportar então. [...] - E então, está pronta para nadar pelada? - perguntou Stephanie. Gabby piscou, sem saber se tinha realmente ouvido aquilo. - Como é?"

A segunda parte do livro traz justamente a reflexão do subtítulo: até onde devemos ir em nome do amor? Eu sinceramente não sei o que eu faria, não consigo nem imaginar. Teve horas que eu morri de raiva, mas assim, não dá para julgar, porque qualquer que seja a escolha feita, vai trazer uma consequência enorme. O final me surpreendeu bastante, e te deixa pensando se foi tomada a escolha certa ou não. Recomendo demais a leitura desse livro.


Tecnologia do Blogger.