O Inocente – Harlan Coben:
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 336
Classificação: 3/5

Resenha:
Acho que todo mundo sabe que eu sou apaixonada pelos livros do Harlan Coben. Então, quando vi O Inocente nos lançamentos da Editora Arqueiro, fui correndo pedir um exemplar para resenha. Esse foi o primeiro livro do Harlan que eu li que não fazia parte da série do Myron Bolitar, e eu não gostei tanto quanto dos outros, não porque tenha sido ruim, mas porque achei meio confuso. Mas mesmo assim foi um livro bom.

Matt Hunter é um homem que, ao tentar separar uma briga, acabou matando uma pessoa, e foi condenado a quatro anos de prisão. Agora, nove anos depois, ele está casado com Olivia e esperando pela chegada do primeiro filho. Ele está tentando deixar o passado para trás. Mas, depois de receber um vídeo do celular de sua esposa, ele percebe que, não importa o quanto tente deixar seu passado para trás, ele nunca poderá ter uma vida tranquila. Olívia está mentindo para ele, e ele não entende o por que. Não acredita que ela possa estar o traindo, mas teria outra explicação? E, além de tudo, tem alguém o seguindo.

Loren Muse é uma investigadora do Departamento de Homicídios, e acaba de pegar um caso estranho. Uma freira foi encontrada morta em seu quarto, aparentemente por causas naturais. Mas o que chama a atenção de todos é que a freira possui próteses de silicone. Isso não faz o menor sentido, e a irmã Katherine está começando a achar que a irmã Mary Rose não era quem dizia ser. Então ela pede que Loren investigue discretamente e descubra quem a irmã Mary Rose era de verdade, e o que estava fazendo disfarçada de freira em sua escola.

Essas duas histórias aparentemente não teriam nada em comum, mas, seguindo pistas, Loren acaba chegando à casa de Marsha Hunter, cunhada de Matt, e, em seguida, nele próprio. O que Matt teria a ver com essa freira? Será que ele diz a verdade quando fala que não faz ideia de quem essa freira seja? Mas, se é verdade, então por que a freira telefonou para a casa de Marsha? Matt seria a explicação mais lógica. Mas, ao mesmo tempo, Loren tem dificuldades em acreditar que Matt, aquele mesmo garoto que ela conheceu na infância, esteja envolvido.

Matt, tentando descobrir quem o está seguindo, pede ajuda à Cingle Shaker, uma detetive particular. Mas o que ela descobre acaba trazendo mais dúvidas à sua mente. O que esse homem quer com ele? Será que Olívia o conhece mesmo? Ele não acredita que ela possa estar realmente o traindo. Matt não vai ficar sem respostas, ele vai atrás desse homem e vai descobrir sobre o que tudo se trata. E é assim que ele acaba no meio da investigação de Loren, e as coisas não estão nada boas para ele. Ele continua sem entender nada, quem estaria armando para ele? E por quê? Ele deveria saber?

O livro mostra, além das visões do Matt e da Loren, a visão de várias pessoas envolvidas, então no início eu fiquei meio perdida, não entendia de onde surgia cada pessoa ou qual era sua parte na história. Foi só isso que eu não gostei. Acho que se eu tivesse parado um pouco para pensar teria entendido melhor, mas li de uma vez e não deixei tempo para tentar entender quem era quem. Alguns pontos da história são super óbvios, mas o motivo não, então você, ao mesmo tempo em que sabe das coisas, não sabe de nada. Eu adoro isso, os livros do Harlan me fazem me sentir inteligente de ter descoberto algumas coisas, mas não me deixam descobrir tudo e tirar a graça da história.

Esperava mais de O Inocente, mas ainda assim gostei, a história foi boa. A edição da Arqueiro está muito bem feita, a capa está linda, a diagramação ótima, notei um ou outro erro de digitação, mas nada que atrapalhasse a leitura. Harlan Coben é um ótimo escritor de livros policiais, ele tem um jeito de te prender na história e não te deixar sair enquanto não terminar. Li o livro em uma madrugada, todo de uma vez. Nunca vou deixar de recomendar um livro desse autor incrível, sempre vale a pena ler os livros dele.


2 Comentários

  1. Gosto muito desse tipo de livro e por mais famoso que o autor seja nunca li um livro dele. Sempre vejo resenhas super positivas mas quando vou comprar algum livro sempre acabo optando por outro e os do Harlan ficam para trás. Provavelmente não esse não será o primeiro do autor que irei ler mas tenho certeza de que se gostar de outros esse irá para a lista de leituras. Talvez a sua confusão tenha sido mesmo em função de ter lido tudo de uma vez, isso sempre acontece comigo e talvez esse tenha sido também o motivo da minha confusão lendo O Beijo das Sombras.
    Adorei a resenha Adri!
    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Greice, os livros que ele escreve sobre o Myron Bolitar são todos ótimos, recomendo mais eles, apesar de que também gostei desse. Acho que foi isso sim, tenho que aprender a ler os livros com mais calma. Me senti como se estivesse vendo um capítulo aleatório de uma novela que eu não conhecia, onde você não sabe quem é quem rs.

      Beijos

      Excluir

Tecnologia do Blogger.