Oi gente! No começo do ano passado, eu fiz um post sobre autores e livros clássicos. Porém, como eu só falei de quatro livros, resolvi fazer outros posts sobre o mesmo assunto. Espero que gostem :)

O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry
Sinopse: O Pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância. De repente retornam os sonhos, reaparece a lembrança de questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíveis na pressa do dia-a-dia. Voltam ao coração escondidas recordações. O reencontro, o homem-menino. Pela mão do pequeno príncipe, recupera a meninice abrindo uma brecha no tempo, volta a sentir o perfume de uma estrela, a ouvir a voz de uma flor, a ver o brilho de uma fonte, escutar os guizos das folhas batidas pelo vento. Quebra-se por momentos a crosta que generaliza o outro em todos e torna as coisas comuns e iguais para se descobrir os carneiros dentro das caixas, os elefantes dentro das serpentes. Uma leitura inesquecível para todas as idades.

 Em abril de 2013 o livro O Pequeno Príncipe completou 70 anos desde sua primeira publicação em 1943.

Antoine de Saint-Exupéry
Antoine de Saint-Exupéry partiu para Nova York no fim de Dezembro de 1940, onde começou a desenhar, na frente aos editores, o recorrente menino de cabelos rebeldes. Quando lhe perguntavam, respondia: “Não é nada de mais, é apenas o garoto que existe no meu coração.” A primeira edição do Pequeno Príncipe apareceu em abril de 1943. Ele recebeu um dos primeiros exemplares alguns dias antes do seu embarque para a África do Norte. Atravessou o Atlântico a bordo de um navio com tropas americanas para lutar pela França ocupada pelo exército alemão. No dia 31 de Julho de 1944 não retornou da sua última missão. Toda a obra de Saint-Exupéry é centrada em valores fundamentais e universais. Elas fazem parte do nosso patrimônio. São os valores dos homens solidários, responsáveis e persistentes.
Créditos: O Pequeno Príncipe

O Tempo e o Vento - Érico Veríssimo
Sinopse: O Tempo e o Vento é uma série literária do escritor brasileiro Érico Veríssimo. Dividido em O Continente (1949), O Retrato (1951) e O Arquipélago (1961), o romance conta uma parte da história do Brasil vista a partir do Sul - da ocupação do "Continente de São Pedro" (1745) até 1945 (fim do Estado Novo), através da saga das famílias Terra e Cambará. É considerada por muitos a obra definitiva do estado do Rio Grande do Sul e uma das mais importantes do Brasil.
Érico Veríssimo
Érico Lopes Veríssimo nasceu em Cruz Alta (RS) no dia 17 de dezembro de 1905, filho de Sebastião Veríssimo da Fonseca e Abegahy Lopes Verissimo. E faleceu em Porto Alegre, em 1975. Concluiu o 1º grau (antigo ginásio) em Porto Alegre. De volta a sua cidade natal, empregou-se no comércio, foi bancário e sócio de uma farmácia. Em 1930, transferiu-se para Porto Alegre, onde, depois de trabalhar algum tempo como desenhista e de publicar alguns contos na imprensa local, empregou-se na Editora Globo como secretário do Departamento Editorial. Viajou duas vezes aos Estados Unidos, onde ministrou cursos de literatura brasileira.
Créditos: Brasil Escola

Os Miseráveis (Les Misérables) - Victor Hugo
Sinopse: Após cumprir pena de trabalhos forçados por quase vinte anos, Jean Valjean é posto em liberdade. Seu coração está cheio de ódio e rancor: pela injustiça que sofrera, pela família perdida após tantos anos, pelos sofrimentos passados, pela vida que teria pela frente como um ex-forçado das galés. Errante, sem ser aceito em nenhum lugar, encontra abrigo na casa do bispo, que lhe oferece comida e pouso. Mas a amargura e a revolta que traz no coração fazem com que Jean Valjean não reconheça a generosidade recebida. Pelo contrário, rouba as pratarias pertencentes ao bispo. A partir desse momento, Jean Valjean vai descobrir uma fé que julgava morta dentro dele, e qualidades que também desconhecia haver em si próprio. A luta do bem contra o mal, da generosidade contra a ambição, da solidariedade contra o egoísmo, do amor contra o ódio vai ser exposta em muitas faces, e a transformação dos sentimentos negativos em sentimentos generosos é o que vai reger a trama e conduzir o clássico romance do mestre Victor Hugo.
Victor Hugo
Victor-Marie Hugo nasceu no dia 26 de fevereiro de 1802, em Besançon, na França. Foi, além de escritor, um ativista pelos direitos humanos, ensaísta, artista e estadista. Era o terceiro filho de Sophie Trébuchet e Joseph Hugo. Seu pai atingiu uma elevada posição no exército de Napoleão e isso fazia com que a família se mudasse com frequência. Porém, isso não foi ruim para Victor Hugo: ele aprendeu 4muito com essas viagens, mesmo ainda criança. Muito conhecido pela Europa, Victor Hugo teve várias obras de sucesso (sejam elas no teatro ou apenas nos livros), mas as duas que até hoje são consideradas clássicos são Os Miseráveis e O Corcunda de Notre Dame (inicialmente publicado como ''Notre-Dame de Paris''). A primeira, conta uma história onde se reflete claramente a filosofia política de Hugo e a segunda, é um romance que o acentua como líder romântico. Nos dias de hoje, ambas continuam extremamente conhecidas e renomadas.
Créditos: Estudo Prático


3 Comentários

  1. Caraca, não sabia que O pequeno príncipe era velho assim. E continua sendo um dos livros mais incríveis, Amo ele. Ahh, O Tempo e o Vento, sempre quis ler este livro. adorei o post, beijos

    erikarayanaheart.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Iza! Eu não sou fã de clássicos, acho a leitura deles cansativa. Já tentei ler Jane Austen e não consegui, acredita? Me senti um e.t porque todo mundo gosta dela. Com O Pequeno Príncipe foi mais ou menos o mesmo só que eu li o livro todo, mas fazem alguns anos e creio que não curti porque não entendi a história. Os Miseráveis é uma obra que me obrigo a ler antes de morrer, o filme é lindo e desde que o assisti não vejo a hora de poder ler o livro.

    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Adoro clássicos! Desses que apresentaste só não li os do Érico Veríssimo. Lembro que derramei baldes de lágrimas lendo Os Miseráveis, lindo e triste demais.

    Beijos,
    Jhey
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.