Lonely Hearts Club - Elizabeth Eulberg:
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 233
Classificação: 5/5

Resenha:
Eu não sei porque eu demorei tanto pra ler esse livro. Ele me surpreendeu totalmente. Não estava esperando nada dele, e bom, eu amei, muito muito muito *--*.

Penny Lane, depois de ser meio que traída por Nate, seu namorado de infância, por quem ela era apaixonada, resolve que para ela chega de garotos. Ela decide que nenhum garoto presta, exceto aqueles que nunca a decepcionaram, John, Paul, George e Ringo (os Beatles). E é graças a eles que ela tem a ideia de fundar o Lonely Hearts Club, um clube onde as meninas vão se juntar para mostrar que não precisam de um namorado para serem felizes. 

"Eu, Penny Lane Bloom, juro solenemente nunca mais namorar enquanto viver. Tudo bem, talvez eu reconsidere essa decisão em dez anos, ou algo assim, quando não estiver mais morando em Parkview, Illinois, nem frequentando a escola McKinley, mas, por hora, não quero mais saber de garotos. São todos a escória da humanidade, mentirosos e traidores. Sim, todos eles. A essência do mal. Claro que alguns parecem ser legais, mas, assim que conseguem o que querem, dão o fora em você e partem para o próximo alvo. Então, cansei. Chega de namorar. Fim."

Seu próprio nome é uma homenagem aos Beatles, grupo pelo qual seus pais são apaixonados. Penny encontra sua amiga, Tracy, na cafeteria, e depois de contar o que houve com o Nate, tenta falar para ela sobre o clube, mas Tracy não ouve, pois está muito preocupada com sua lista de garotos com quem ela quer namorar.

Na escola, Penny acha estranho que Diane, sua ex melhor amiga, resolve voltar a falar com ela do nada. Diane a abandonou depois que começou a namorar com Ryan no oitavo ano, e é mais um motivo que Penny tem para fundar o clube, pois está cansada de ser deixada de lado pelas amigas, que mudam totalmente quando começam a namorar.

Ela logo logo descobre o motivo dessa tentativa de reaproximação: Diane e Ryan terminaram. Fica com raiva de Diane, mas, depois de ouvir o que ela tem a dizer, acaba voltando a ser sua amiga, e Diane entra no Lonely Hearts Club. O clube logo vira um sucesso, pois existem muito mais garotas que estão cansadas dos garotos do que Penny imaginava.

Ao mesmo tempo, ela começa a passar mais tempo com Ryan na escola, e novos sentimentos começam a surgir, mas ela não admite nem para ela mesma, pois uma das principais regras do clube é não namorar.

Bom, a partir daí as coisas vão acontecendo, e quando você menos espera, o livro acaba. Sério, ele é ótimo, te envolve de um jeito que você acaba de ler e nem percebe. Eu adoro a Penny, ela é uma ótima narradora, não é bobinha, é forte e tal. A Diane, por mais que eu vi que muita gente não gosta dela, é, sem dúvidas, minha personagem favorita. Eu simplesmente adoro ela, é uma ótima amiga, e faz de tudo para ajudar a Penny. Eu não gosto tanto da Tracy, mas eu acho que eu sou a única, porque eu não achei mais ninguém que não gostasse dela. Sei lá, ela é legal, eu só não fui muito com a cara dela. E por fim, o Ryan é simplesmente perfeito *--*.

A capa é linda, a diagramação do livro é perfeita, a editora usou fontes diferentes para o início dos capítulos, e as citações em inglês ficaram lindas, talvez tenha alguns errinhos na escrita, mas eu nem percebi porque já estou me acostumando com isso, a maioria dos livros estão vindo com erros ultimamente.

A editora Intrínseca está de parabéns por esse livro, e a autora, Elizabeth Eulberg, apesar de o único livro que eu li dela ter sido esse, já é uma das minhas favoritas, eu com certeza vou procurar saber de outros livros dela.



Bom, o Book Blogger Hop (versão brasileira) foi feito pelo blog Murphy's Library, com a ideia de mostrar a diversidade de blogs literários e de divulgá-los. Além disso, toda semana vem uma pergunta sobre o mundo dos livros.

A pergunta desta semana é:
Diga o nome de 3 autores com os quais você adoraria sentar pra bater um papo ou tomar um café só pra conversar sobre seus livros ou pedir alguns conselhos de escrita.


Resposta:
Adri: Bom, a minha primeira escolha é completamente óbvia, a J. K. Rowling, simplesmente porque ela é a minha autora preferida, e eu admiro muito ela, acho que todo mundo que cresceu com Harry Potter me entende. Segundo, a Meg Cabot, eu queria entender de onde ela tira tanta criatividade pra escrever tantos livros perfeitos, em tantos temas diferentes. E a minha terceira escolha seria a Richelle Mead, pra brigar com ela por tudo que ela me fez passar em Vampire Academy 3, e depois disso, agradecer a ela pela melhor história de vampiros que eu já li (e olha que não foram poucas rsrs). E a minha quarta escolha seria a Cassandra Clare, mas como ninguém perguntou, eu to parando por aqui rsrs


Tecnologia do Blogger.